9 de dezembro de 2010

Umei devolve patrimônio histórico à cidade no aniversário de 113 anos

Belo Horizonte completa 113 anos no domingo, dia 12, e a Prefeitura antecipa o presente para a capital e inaugura na quinta-feira, dia 9, às 10h, a Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei) Timbiras. Localizada na confluência das ruas Timbiras e Espírito Santo e da avenida Álvares Cabral, a Umei tem um projeto diferenciado em razão do aproveitamento de uma construção tombada pelo patrimônio histórico e cultural.
O casarão da rua Timbiras, 1.697, foi construído em 1899 para ser a residência da família do desembargador Amadeu Alves da Silva. A construção retrata um período do desenvolvimento urbano de Belo Horizonte que tinha, em sua área central, residências de tradicionais e abastadas famílias em uma época em que os elementos decorativos das fachadas eram utilizados para caracterizar a classe social dos proprietários. O imóvel de estilo eclético e inspiração neoclássica serviu de residência às pessoas vinculadas ao funcionalismo público da cidade que surgia.
Em 1994, o casarão de 288 metros quadrados foi tombado pelo patrimônio cultural do município e, em 1999, a edificação teve projeto de restauração elaborado pela Gerência de Patrimônio Histórico (atual Diretoria de Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura). Em janeiro de 2000, um incêndio destruiu grande parte do casarão. Apenas as fachadas, a varanda lateral e remanescentes de ladrilho hidráulico foram poupados. O prédio ficou abandonado.
No ano de 2009, a Diretoria de Patrimônio Cultural aprovou o projeto de restauração e adaptação para um novo uso como Umei da Secretaria Municipal de Educação. O projeto, assinado pelos arquitetos Marcelo Amorim e Silvana Lamas da Matta, ambos do Núcleo de Execução de Projetos Especiais da Prefeitura, resgata o charme do antigo casarão e venceu a 10ª edição do concurso realizado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/MG).

Estrutura

Hoje, a Umei Timbiras, com três anexos e um estacionamento no subsolo, preserva as características arquitetônicas originais do casarão e ocupa ainda outros dois lotes, totalizando 1,8 mil metros quadrados. Na casa, funcionará o setor administrativo, sala multiuso e refeitório. O playground está localizado entre a rua e a edificação. O primeiro pavimento do anexo 1 é formado pelas salas de atividades, biblioteca, sanitários e, mais ao fundo, uma área de acesso ao berçário, com uma parede curva em mosaico. O pavimento superior possui cinco salas para atividades, sanitários, sala dos professores e de reuniões e área para circulação central. Dessa circulação central, uma passarela metálica suspensa se projeta sobre o recreio coberto, além dos limites da construção, permitindo uma vista da cidade. O berçário fica no anexo 2.
A Prefeitura investiu R$ 3.503.282,17 nas obras da Umei Timbiras. Vinculada à Escola Municipal Marconi, a Umei é a sétima unidade da Regional Centro-Sul, a primeira localizada na área central da cidade e tem capacidade de atendimento para 440 crianças.

Um comentário:

Mônica Lenira disse...

Essa já é a Umei mais charmosa de Belo Horizonte